<$BlogRSDUrl$>

Um site para pensar sobre tudo e chegarmos sempre a um singular pensamento final: sabermos que nada sabemos.
_____________________________

Tiago Pimentel
Críticas dos leitores para: tiago_pimentel@hotmail.com

sábado, dezembro 30, 2006


Os melhores de 2006


1. «Munique», de Steven Spielberg

Um dos grandes monumentos da década! Um filme que retrata a violência sem receio de assumir um ponto de vista que nada tem a ver com clubismo político, mas antes se centra na desumanização de todas as formas de violência. Em Avner podemos ver tudo: desde a paixão violentamente humana de vingar os seus conterrâneos, até à extinção moral do seu corpo, do seu espírito e de tudo aquilo em que ele acreditou.

2. «Uma História de Violência», de David Cronenberg

Um dos grandes filmes da carreira de Cronenberg teria que figurar nos lugares cimeiros desta pequena lista. Um pequeno milagre de cinema, de arte e de catarse como epílogo da tragédia que lhe antecedera. É também um filme sobre o medo: não só o medo dos outros, mas o medo daquilo que fomos e que podemos voltar a ser.

3. «The Departed: Entre Inimigos», de Martin Scorsese

Com esta obra prima de Scorsese, fica completa a trilogia da violência e identidade (juntamente com Munique e Uma História de Violência). Um grande filme, devolvendo a Nicholson o protagonismo dos grandes secundários e consagrando DiCaprio como o grande actor da sua geração.

4. «A Dália Negra», de Brian De Palma

Um dos filmes máximos de De Palma. Um filme negro que permite ao cineasta a liberdade formal necessária para desconstruir todas as convenções interiores ao género e encenar um dos filmes mais hipnóticos do ano.

5. «Maria Madalena», de Abel Ferrara

É um dos filmes mais espirituais da década. Uma história de fé desconstruída pelo desencanto da actualidade. Forest Whitaker é assombroso.

6. «Match Point», de Woody Allen

O regresso de Woody Allen aos grandes filmes, depois de um punhado de filmes muito interessantes, mas menores na sua carreira. Quem diria que era preciso Allen sair da sua Nova Iorque para se reencontrar?

7. «Em Paris», de Christophe Honoré

Foi um bom ano também para o cinema francês (relembremos ainda o muito bom Le Temps Qui Reste, de Ozon), em particular para esta pérola sobre a amizade de dois irmãos, com a sobriedade necessária para retratar uma tragédia, mas com a liberdade formal (sinais de Nouvelle Vague - enfim, Godard, Rivette, ...) possibilitando um encantamento irresistível sobre os lugares, as personagens e a errância dos seus dilemas.

8. «Babel», de Alejandro González Iñárritu

Filme portentoso sobre a incomunicabilidade do mundo. Um filme fundamental de 2006 e que não podia deixar de figurar nesta lista.

9. «World Trade Center», de Oliver Stone

Um comovente reencontro com Oliver Stone e (através dele) com os trágicos acontecimentos vividos em 11 de Setembro de 2001, no World Trade Center. Um filme que dignifica a memória daqueles que perderam a vida nesse dia, mas que sustenta também uma invulgar força anímica para quem os ficou cá a chorar.

10. «Nada a Esconder», de Michael Haneke

Sabendo que se fala tanto (eu incluído) na indisponibilidade do olhar do espectador face às imagens que recebe, Haneke filma este magnífico Nada a Esconder com a subtileza dos vários olhares que o percorrem. É um filme sobre o(s) olhar(es) mas também sobre as imagens e as suas várias decomposições.

5 Comments:

Anonymous Roberto Queiroz said...

Meus preferidos de sua lista de 2006 são Munique e The Departed. Fiquei assombrado com a reviravolta que Cronenberg deu em sua carreira (se bem que seu filme anterior, Spider, já dava sinais de uma nova faceta desse belíssimo cineasta). Na minha lista talvez eu colocasse no lugar do filme de Haneke o ótimo Filhos da Esperança (Children of Men), de Alfonso Cuarón. É extraordinário! Há muito tempo não via algo tão bom em termos de ficção-científica. Abraços do crítico da caverna e um feliz 2007 pra você.

4:48 da manhã  
Anonymous Roberto Queiroz said...

Voltei! Estou passando para falar sobre o meu novo blog (http://claque-te.blogspot.com) onde eu escreverei sobre filmes que chamaram minha atenção enquanto
que o the cave ficará como um panorama global do que está rolando na sétima arte ultimamente. Além disso, há textos meus de 15 em 15 dias no portal
Reação Cultural (http://reacaocultural.blgospot.com),
uma revista virtual da qual participo.

Abraços do crítico da caverna.

11:28 da manhã  
Anonymous RJ said...

Recentemente, o Brain-Mixer, www.brain-mixer.blogspot.com, lançou um questionário para a blogosfera, e eu fui um dos desafiados. Tive o prazer de te passar o testemunho. Vê mais promenores no meu blog ou no do Brain.

Espero que respondas assim que tiveres tempo.
Um abraço!

1:27 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Agora on-line em formato blog a revista FIM - Festivais de Imagem em Movimento sobre cinema, vídeo, multimédia, estreias e festivais.
www.revistafim.blogspot.com

7:55 da manhã  
Anonymous José Couto said...

Boa selecção!
No entanto, não contempla um dos melhores filmes que vi este ano: "Lady in the water", mais uma obra-prima de M. Night Shyamalan. Uma obra bastante criticada, é um facto, mas vítima, sem dúvida, de muitos preconceitos e desajustadas interpretações...
Cumprimentos cinéfilos,

8:41 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?